Palavras Avulsas


(Do tempo em que eu fazia poesia com mais freqüência que agora)

ALFORRIA

Corra em minhas veias
deixando em mim
um pouco do seu torpor

Atravesse minha pele
derramando pouco a pouco
as horas que você me tirou

Iluda meus ouvidos
distorcendo as declarações
do amor que você não teve

Afrouxe o meu peito
depois arremesse-me ao chão
lentamente se despede e me esquece

(É esse) teu sorriso irônico
(que) confunde minhas pupilas
(São) teus braços malcriados
(que) velam por meu padecer.

Gabriel Chacon - 22/10/2007

5 Response to Palavras Avulsas

  1. Ana Gabi says:

    "Iluda meus ouvidos
    distorcendo as declarações
    do amor que você não teve"
    Que lindo isso!

    Lembrei da Carta Anônima, do Caio Fernando Abreu, conhece?
    Qualquer dia eu posto no blog.

    OBS: Tenho inveja do seu blog tocar música, hehe!

    Até mais!

    ;)

  2. Avassalador.
    Ta apaixonado amigo?
    Me conta tudo!

    Outro.

  3. Lalinha says:

    Que lindo, Biel. Em partes me identifiquei.

  4. Gostei do jogo de palavras, não se perdeu nas estrofes...
    Parabéns!!!


    http://hdebarbamalfeita.blogspot.com/

  5. Muito bom! Adorei!