ponto... (mas acho que ainda não o final)


é... de repente não era mesmo para que nada disso viesse a acontecer.
Não fui.
Perdi o encanto, a vontade, disposição para mostrar alguém que ele não quis conhecer, uma oportunidade que ele não quis aproveitar.
Não posso querer também querer controlar vida e decisões das pessoas, em especial dele. Foi uma escolha, de nós dois. Não estou culpando, apenas sendo resignado (será?).
Mesmo que fosse, para que?
O período estabelecido por mim e para mim expirou. Agora. Exatamente 0:55. O horário em que aquele ônibus onde eu estaria está partindo.
Junto com ele mais uma frustração, decepção não sei dizer. Como se diz: está em stand-by, mas não sei dizer até quando. Não funciono com pilha alcalina...
Sem amigos. Um está dormindo por ter trabalhado de 10h ate 22h... a outra está com a namorada (que sejam muito felizes!!!) e o terceiro deve estar dormindo também pelo mesmo motivo que o primeiro.
Eu estou aqui. Preso nessa tela e a essa vida virtual que me preenche por alguns momentos, que me faz querer me expor, que às vezes me engana quando acho que vou encontrar o amor da minha vida... e vou? Acho que voltei, novamente, ao ponto de inércia. Esperando, procurando, desencanando... o de sempre.
Não é bem melancolia... é um vazio que não tenho com o que preencher agora. Mas essas palavras bastam e também basta saber que durante todo o tempo não desisti. Não virei as costas. Ofereci uma vaga ao meu lado nesse trajeto da vida, mas ele prefere por enquanto esperar. Esperemos pois...

Ilustração Musical


Não Chore Homem -Vanessa Da Mata

Você me dá muito pouco
E eu vou embora
O que você me deu
Vou jogar fora
O que presta pra mim
É afeição
Eu vou tentar ser bem mais competente
Na escolha da próxima paixão
Meu bem
Próxima paixão, meu bem
Próxima paixão, meu bem
Próxima Próxima Próxima

Eu quero alguém bem melhor
E mais bonito
Alguem que nem você eu não preciso
O resultado disso é solidão
Eu vou tentar ser bem mais competente
Na escolha da próxima paixão
Meu bem
Próxima paixão, meu bem
Próxima paixão, meu bem
Próxima
Próxima
Próxima

Não chore homem...

Mas as coisas não são assim
Não é vovó?
São coisas que a gente não escolhe nunca
As coisas do coração
Não é vovó?
Elas são como são ou a gente muda?

Amanhã não quero confundir
Atração sexual com ilusões de amor puro

Não chore homem...

...


E fica a dúvida: vou ou não vou?

esterçando...


E lá fui eu, lindo, para meu segundo dia de aula de direção veicular! Só imaginando quais seriam as surpresas, aventuras e coisas que iam acontecer para eu contar aqui! (ultimamente eu tenho feito as coisas e prestado atenção puramente para poder vir escrever aqui! rs).

Dirigi por um percurso considerável até o local onde eu seria colocado à prova - o canteiro das valizes, digo, balizas! Sim estimados leitores, tive de encarar esse mal-encarado exercício! As primeiras vezes com o Habibs - meu instrutor - me mostrando como era, depois nas 50mil vezes seguintes, eu fiz sozinho, quase sozinho... sozinho mesmo só as duas últimas. (é claro que não foram 50mil né!, mas se eu colocasse que foram umas 5 ou 6 no máximo, qual impacto que teria?!)


Bom, tenho que admitir, é uma coisa absolutamente CHATA! Meu deus! É um tal de esterça pra cá... estressa, digo, esterça pra lá... e segura embreagem e solta embreagem devagar... mais... solta mais... aí viu, afogou porque você não liberou o freio! E volta a esterçar... segurar volante... soltar embreagem... liberar o freio... e ainda ter que ficar vendo os bastões nas marcas! E pra completar, tive a confirmação da minha dislexia direita-esquerda ("não é dislexia... é falta de lateralidade" af...).


Finalmente fomos embora de lá porque eu já estava cansado desse negócio de repetir... Seguimos pelas ruas... ele falando o tempo todo, dessa vez mais me irritando do que instruindo e orientando no sentido de. Até que chegamos num lugar bastante hostil: uma rotatória, no meio das avenidas Brasil e Adhemar de Barros (para aqueles que não moram em Franca, o impacto não vai ser assim tão forte, mas imaginem uma dessas rotatórias que qualquer cidade tem, bem movimentada, no horário de almoço). Sim. Lá estava eu, uma criança praticamente... desprotegida e na direção de um carro (dirigindo mesmo)... com o instrutor falando sem parar.... só me deixando mais nervoso e me aproximando dos outros carros e do vuco! Gente.... senti minhas perninhas tremendo já antevendo o carro afogando, um engavetamento e variações desse tipo de coisa.

E pra piorar, o Habibs falando do meu lado: (além das instruções confusas e tudo ao mesmo tempo) Se acontecer alguma coisa no meio da avenida/rotatória, não tem como eu te ajudar. ISSO É O TIPO DE COISA QUE SE FALA PARA ALGUÉM QUE ESTÁ DIRIGINDO PELA SEGUNDA VEZ NA VIDA???? E AINDA NUM LUGAR COMO AQUELE???


Fiquei com o c*zim na mão! Ou melhor, apertado no banco, porque não podia tirar as mãos do volante. E nunca que parava de passar carro e eu bem na frente da fila... puxando... toda a responsabilidade comigo... e eu tendo que fingir que estava tudo bem e calmo. Como se eu fizesse aquilo todo dia... eu suava! Aí veio a brecha.... vruummm.. loko! Saí de lá... aliviado depois desses minutos de tensão. Me deixei em casa e fiquei fazendo hora no computador até almoçar.


Bom, como não vou sair hoje e minha ansiedade está dando sinais de que tem fome, vou aproveitar o momento solitário aqui em casa e fazer um brigadeiro todinho pra mim!!! Tá, pode ser que eu leve um pouco na viagem amanhã. Pior vai ser não comer até chegar lá! rs... Daqui a pouco faltando aproximadamente 24h.

Frase - "a gente nunca perde por comer e não engordar!"

Outro!!!

Sarando



Ontem foi o Sarau na Praça da Matriz, aqui em Franca. Uma realização do Grupo ATO juntamente com outros vários grupos da Redemoinhos, ou inho, não sei! Para a aprovação da Lei de Fomento da Cultura, enfim... essas coisas políticas eu não sei muito bem.

O Rafa me pegou na loja e fomos dar uma passada antes. Só que acabou tudo atrasando! Aí saímos da Carla e quando chegamos à praça, já tinham nos anunciado! Foi o tempo de tirar os sapatos, receber as merdas e subir!
Foi uma delicinha! hehehehe...

Tá certo que adiantamos um pouco... o pé ficou todo esfolado... sem falar que quase perco minha unha do dedo da mão esquerda quando fui terminar a coreografia.. esfregando no chão. Enfim. O pessoal gostou também... e a gente também. E nem fiquei muito nervoso! Bem menos do que de costume.


De lá fomos Eu, Cacá Bordini, Rafa e depois juntaram Ana, Marcelo e afins, para o Fish. So comemos, porque eu já estava desesperado para me alimentar! Tudo culpa da ansiedade.
Pão pão, beijo beijo...

Vim pra casina e comi de novo, mas só pãozinho de fôrma com maionese e coca-cola (ele diria: "eca! eca! eca! maionese não! eca!")
Só depois disso que fui dormir.

* Não, essa foto não é a da concha acústica francana, mas na falta de uma foto dela, coloquei essa.

Pelo amor de deus!!!!


Sim, é oficial, estou ansioso, mas muito mesmo! Do tipo que sente fome o tempo todo, mesmo tendo acabado de comer...
Do tipo que não consegue ficar num lugar só... inquieto...
Já limpei prateleiras, vitrines, organizei bolsas... só falta pegar vassoura, pano e rodo e começar a limpar o chão de novo! Louco!
É muita informação de ordem emocional acontecendo - sarau hoje (e o tempo esquisito, que táva um sol escaldante até agora e do nada começou um vento muito misterioso!), aula de direção amanhã (a segunda. E de acordo com meu instrutor Habibs, será baliza.... tô até vendo),dia 30 chegando... e nada de notícias dele, mas continuo convicto (afinal, já se foram 70 dinheiros).

E esse dia estranho que não passa de jeito nenhum aqui nessa loja! E não são nem 17h!

Daqui a pouco vou acabar saindopra comprar chocolate porque não tenho cigarro! Ahhhh..... é pedir demais um pedaço de chocolate gratuitamente?
Por enquanto minhas unhas estão seguras, mas as pelinhas não! enfim...

Vou sair desse tal blog... não sair no sentido de nunca mais escrever... sair de sair dessa parte de postagens!

Vrum-vrum


E hoje, conforme o prometido, tive minha primeira aula prática de direção veicular! hehehe. E foi um máximo!

Eu já táva todo preocupado com minhas neuras e bloqueios, mas correu tudo bem! O carro não afogou, não tive barberagem...

No começo tudo muito simples (acho que estou usando "tudo" demais", enfim) - liga o carro, pé na embreagem, pé no freio, engata primeira, solta embreagem devagar... devagar... pode soltar mais... devagar..., seta pra esquerda, solta freio de mão, acelera mais um pouco pra mim, engata segunda, conversões à direita e à esquerda, meia-rampa... e depois de muitas voltas no mesmo bloco de ruas, avenidinha, rotatória, mudança de percurso e ainda por cima usar o limpador porque começou a chover! Aí fui de onde estávamos, que inclusive é perto da minha casa , até a auto escola, nessa avenida... eu lá, lindo! dirigindo feito gente grande! E o meu instrutor falando o tempo todo! Tá certo que eu também não calava minha boca, mas eu tinha dúvidas para esclarecer ué! Tinha que aproveitar!

E nisso fomos até a auto, com direito a atravessar uma avenida, com outros carros acreditam?! rs... e nenhum errinho... só umas tiradas apressadas do pé da embreagem, mas bobagem! Depois ainda fui até o shopping do calçado dirigindo! Adorando!

E outra notícia boa: meu amigo Eddie fez o exame hoje e PASSOU!! Uhul!! VIVA!

Frase - "a gente nunca perde por ser elegante!" Outro!

Trilha da noite - "Doo Wop" e "Can´t take my eyes off of you", as duas com versão de Lauryn Hill

******************************

(PS: Contagem regressiva para o dia D: FALTAM 04 DIAS!)

Momento Narcisista


Ficaram intrigados com essa fota que coloquei? Hein? Não... quer dizer, sim? Bom, é o começo de um projeto meio que biográfico que acabei de pensar! hauuahau...

Tá... A figurinha não ficou exatamente como eu achei e queria que ficasse, mas é só clicar nela que vai chegar onde precisa. Uma coisinha para deixar minha marca em mais um lugar! hehehe!


Quando visitarem a página, procurem na parte de "Nascimentos".

Breve colocarei mais coisas lá!

25/03/2008


Desculpem pela falta de criatividade (vontade) de colocar um nome pra esse post, mas como ele é muito abrangente, não quis nada que desse a idéia de um tema específico. Poderia ser "rotina", mas acho muito clichê, até para meus padrões clichotescos. Enfim.

Até que essa foi uma folga um pouco mais folgada... Só tive que levantar um pouco cedo para aquela tal coisa de apertar meu dedo a fim de certificar minha digital nas aulas da auto-escola (que aliás meu amigo que fará o exame amanhã disse que não precisou desse tanto de aula assim não. Foi umas 3 vezes e pronto. Depois assinou uma coisa lá. Preciso avaliar isso) - esse negócio de digressão ainda vai complicar minha vida! Quer dizer, a minha não porque eu entendo muito bem meus fluxos e refluxos (rs) de pensamentos... Mas eu penso em quem está lendo né, poxa... numa hora dessas já deve até ter voltado pro começo do post ou para o começo do parágrafo, no sentido de entender... ou não!!! Aí! Fiz de novo!! Pardon.

Voltei pra casa e deitei de novo... só pra ficar fazendo hora na cama mesmo. Minha mãe logo chegou e já quis me tirar da cama pra poder fazer as contas do que tenho que colaborar aqui em casa (não, não tenho dinheiro para tudo que precisa! rs) e também para fazer o almoço com ela. Eu não táva com tanta fome assim e fiquei satisfeito com a macarronada que eu fiz. Poderia ter sido mais gostosa não fosse a falta de queijo ralado. Ah gente, na boa.... macarronada sem queijo ralado não é macarronada! É só macarrão com molho... É a mesma coisa que Queijo com Goiabada, sem queijo... vocês me entendem né?

Não precisei isaurar tanto hoje... Algumas toalhas estendidas, pano passado no banheiro, box lavado, lixo pra rua... o básico. Até uma chuvinha depois do almoço teve! O que eu achei muito digno, devido ao fato de nas outras folgas minhas isso não ter acontecido.

Quando o sol resolveu começar a sumir no horizonte eu saí de casa para resolver minhas coisinholas. Não fui mais cedo porque não sou obrigado a ficar me cansando e suando andando com um sol daqueles! Esperei, esperei, esperei o ônibus e rumei para o shopping. Isso porque fiquei pensando milhões de coisas enquanto estava sentado. Aí eu pensava, divagava e lembrava da peça... e divagava de novo... foi bem cansativo!

No shopping fiquei variando entre a loja onde o Eddie trabalha e onde o Rafa trabalha. Papos, viagens, cigarros, comentários, risos. Fiquei até fecharem as lojas...

Agora estoy aki, querendo te! ahuahauhahau... desculpa... estou aqui, achando que já tinha tomado banho só porque molhei meus pés enquanto limpava o banheiro! Acha! Daqui a pouco vou lá... tomar banhozinho e deitar... Amanhã finalmente terei minha primeira aula prática de direção. Já não era sem tempo!

Fica assim então! Guardem seus espirros porque já tenho muitos aqui.
Como prometido ao Eddie, vou colocar aqui o link para a música da Amy que postei aí pra baixo.(passagem de tempo enquanto procura o link) Bom, não consegui o link direto de onde eu originalmente peguei, que foi no site do MixBrasil, mas qualquer um pode entrar no Youtube e digitar lá que irá encontrar várias versões, inclusive com outros cantores. Táaa?

FRASE PRA FECHAR: "A gente nunca perde por ser bonito!"

Outro!

Palitando por aqui também


Tomando emprestado uma expressão da peça a que fui assistir hoje (a construção está certa?) para entitular o post.

No SESI, "As Olívias Palitam". Com direito a site e blog que eu já tinha visto antes, na loja! E inclusive deixei recado! hehehehe... Sim, eu ri MUITO! De forma exagerada mesmo! Várias esquetes interessantes. Como toda improvisação, quase que pelo espetáculo todo, demorou um pouco para engrenar; mas algumas piadas bem legais! E eu já me imaginava em todas!
Educando o Felipe, divagando enquanto espero o garçom, consolando algum amigo! Muito bom mesmo. A Dri, o Eddie e o Rafa tinham ido ontem.

Por falar em ontem, eles saíram da peça e eu fui encontrá-los no Fish. E foi uma loucura! Porque de repente um cara que tinha tentado fazer amizade com o Rafa no banheiro decidiu ficar na nossa mesa falando das coisas lindas da vida, das madonnas, da taia do leite, signos, de páscoa... e até gim tônica ele trouxe! E acabou indo parar na boate também! Mas só chegamos juntos, porque no momento seguinte que a gente entrou, ele sumiu! Louco!

Nossa!!! Boate lotada - de gente esquisita! Porém eu táva com a minha gira atacada e não parei de dançar um minuto! Ainda mais porque rolou uma seqüencia muito firmeza: Give it to me (Nelly Furtado, Justin Timberlake e Timbaland), Please don´t stop the music (Rihanna) e Gimme more (Britney Spears). E eu táva louquíssimo! Dançando de um lado para o outro, pulando, girando... nessa hora o pé não doía não! hehehe.... Até fizemos Maria Rita, muitas vezes... mesmo! E quando digo muitas, eu realmente quero dizer MUITAS! No sentido de bastante! hehehe... Só sei que fomos embora e eu estava bem cansadinho.

Hoje acordei com a minha avó limpando e organizando um jardim que temos na frente de casa que parecia uma reserva florestal!

Na loja, Spinelli e eu ficamos parecendo dois zumbizinhos - não, não é uma alusão a nossa tonalidade de pele. Estávamos cansados... com preguiça... e pra variar, com fome.

Enfim... Estou indo dormir agora!

OUTROOOOOOOO!!!!!!!!!!!!!!

Achei!


Ontem passando pelos sites da net, à noite, ouvi uma música da Amy que ainda não conhecia:

WILL YOU STILL LOVE ME TOMORROW?

Tonight you're mine completely
You give your love so sweetly
Tonight the light of love is in your eyes
Will you still love me tomorrow?

Is this a lasting treasure
Or just a moment's pleasure?
Can I believe the magic of your sighs?
Will you still love me tomorrow?

Tonight with words unspoken
And you say that I'm the only one, the only one, yeah
But will my heart be broken
When the night meets the morning star?

I'd like to know that your love
Is love I can be sure of
So tell me now, cause I won't ask again
Will you still love me tomorrow?
Will you still love me tomorrow?
Yeah[Will You Still Love Me Tomorrow?]


Pendendo



Eu faço as coisas e depois fico me sentindo culpado.

Não, não é nada de grave ou sério. Só que passei a última noite/madrugada criando e por isso fui dormir quando já era quase hoje cedo! Tá, eu sei que o corpo precisa de pelo menos 8 horas de sono e tudo e tal, se bem que eu preciso de mais, sempre foi assim; acontece que quando vem essa tal "coisa" eu me desembesto a escrever e o sono nem vem dar as caras... fica vagando por aí.

Agora to aqui, sentado nessa loja, bocejando a fim de refrescar meu cérebro e me manter um pouco acordado, tendo que aturar cliente chato e pentelho que só vem ao shopping encher o saco dos pobres vendedores, os olhos pendendo um pouco para baixo, aquela vontadinha de ficar deitado na cama... deixando tudo acontecer sem me dar conta.

Pior que eu tenho um ócio criativo muito forte, então se eu ficar aqui nesse estado inértico, é bem capaz que surja algum tipo de criação! hehehe... ou não, vai saber. Fico ouvindo as músicas da Ceumar e quando paro pra prestar atenção na letra eu viajo! ("é só tocar o ponto g da bomba h")

De repente me vem um friozinho na barriga... praticamente uma semana para a viagem. Eu ia continuar o lado poético colocando uma metáfora pra viagem, mas do nada me deu uma preguiça... é que pensei em várias, mas não queria colocar nenhuma.

Mas vamos indo... sair hoje não sei hein...

"Shiny Happy People!"


Quinta-feira, véspera de feriado. Saio do trabalho e já recebo o convite de que teria Fish! Aniversário da Mísia, esse tipo de pessoa de quem a gente sempre ouve falar, mas que nunca tem contato. Blz... Cheguei em casa, o pé não tão inchado, porém doendo um pouco, comi, tomei banho e logo o Rafa passou por aqui.

Minutos depois estávamos acomodados no Fish - Eddie, Paulo, Rafa, Eu, Fernanda, Marília Angélica, Bira e sua respectiva, Mísia e sua respectiva e uma outra amiga delas que não sei nem ouvi o nome. Nossa mesa parecia de família italiana, numa dessas cantinas tradicionais do Bixiga (ah... São Paulo...). A gente pegou 4 mesas e colocamos num quadrado só, de modo que ficou grande e todo mundo em volta rindo, falando, contando histórias (de novo São Paulo) e também brincando com umas pedrinhas imantadas que eu achei um máximo e faziam barulho engraçado! Todo mundo divertindo quando numa manobra arriscada e radical, uma das pedrinhas caiu no chão e sumiu! E aí fomos para debaixo da mesa procurar a dita... e também brincar um pouquinho! hehehehe... Enfim!

Foi quando o bolo chegou! Ainda bem, porque eu só tinha visto uma das meninas levando esse bolo para dentro do Fish e depois ninguém nem tocou no assunto e eu fiquei bastante preocupado. Parabéns de todas as variantes possíveis e então comer! Comi alguns pedaços... tinha bombom! Eu gostei até...

Mas aí decidimos ir embora - para a praça! E durante as 4 horas seguintes (de 1am até 5am, aproximadamente) Eu, o Rafa, o Eddie e o Paulo rimos exacerbadamente! (rs). Tudo começou quando o Eddie lembrou de uma brincadeira/exercício que a Dri e eu e ele fazíamos, inclusive qualquer um pode fazer, consiste em determinar um prefixo ou um sufixo e então ir dizendo palavras. Fizemos com prefixos (que levou mais tempo pois a lista de palavras com "es/ex" foi bastante extensa! hahahaha)... depois nomes de remédios... nomes de desenhos... nomes de seriados... Só sei que a cada rodada era uma piada! O Eddie que lembrava algum nome, mas quando chegava a vez dele, esquecia... O Rafa inventando história de seriados, o Paulo falando os nomes só em inglês ou então acusando o Rafa de que a palavra dele já tinho sido dita, só porque era a que ele mesmo ia falar! E eu rindo... muito... e alto, como é de praxe!

E por fim nos cansamos né... Afinal de contas uma maratona desses jogos acaba com qualquer um!
Vamos ver qual será a programação pra hoje!

Oi? Sim, talvez a gente saia.
Oi? Não, não sabemos para onde ainda.
Oi? De repente você pode vir também...

Rapidinhas...


* Sim, meu pézão está bastante inchado, como aquelas batatas recheadas... ainda não fui ao médico por alguns motivos - falta de tempo, falta de vontade e também porque, provavelmente, ele vá querer que eu imobilize meu pé, o que eu não posso fazer porque semana que vem tem a apresentação do dantrato.

* É um menino! Minha mãe ligou na loja hoje no sentido de me orientar a respeito do sexo do novo infante. Agora à noite nós vimos juntos o DVD dele... Olha como estão as coisas ultimamente! Tá certo que eu vi só alguns borrões, mas pude perceber pernas, mãos, rosto, coluna, boca, e o próprio órgão acusador! rs

* Sexta não iremos trabalhar! Viva! Outro diazinho de folga do ClaustroShopping!

* As músicas mais ouvidas são: Todo Sentimento - Chico Buarque, Cicatrizes - Roberta Sá, Mania de Você - Rita Lee, Sonata ao Luar - Beethoven.

* Parece que consegui marcar uma aula prática que vai acontecer. A data, só semana que vem, porém o horário não é ruim... no meu intervalo de almoço, na quinta. Carro. Tive que falar firme com aquela menina! Onde já se viu... e ainda quis colocar a culpa em mim!

Folhetim Breviações


ELE: Por que é que você é assim, inacessível?
EU: Eu não sou assim, inacessível.
ELE: Mas prefere mostrar que sim.
EU: Sabe, é que eu já ofereci meus sonhos tantas vezes para quem só queria meu corpo, que aprendi a ter um pouco de resguardo.
ELE: Mas assim você deixa muita coisa passar sem se dar conta.
EU: Desse jeito não tenho que me preocupar com decepções.
ELE: E pode afastar as boas intenções.
EU: Todo mundo está cheio de boas intenções, mas no momento de colocá-las em prática, preferem não usá-las.
ELE: É disso que estou falando.
EU: Do quê?
ELE: Você está ficando igual a um deles. Amargo, fechado.
EU: Não é bem assim. Eu só gosto de ter um pouco de segurança por onde estou pisando.
ELE: Não se pode misturar sentimentos e racionalidade. Não se pode escolher um momento específico em que você vai gostar de alguém e ter certeza de que é a pessoa certa.
EU: É por isso que você prefere trovas e eu...
ELE (interrompe): ...E você prefere colocar-se como rejeitado.
EU: Não. Eu só prefiro a clareza dos contos realistas.
ELE: Não há nada de errado em deixar um pouco da inocência trovadoresca fazer parte da sua vida.
EU: O problema não está nas trovas, está nos trovadores.
ELE: Será que não vê nada diferente neste?
EU: Vejo, e muito. E é por ver tanta coisa diferente que fico assustado. Até que ponto você é mesmo o que vejo e até que ponto você é só o que desejo?
ELE: Por que eu não seria assim, se até agora esse foi meu comportamento?
EU: Eu não sei! Eu ainda não te conheço.
ELE: Porque não deixa! Mas o que falta? É só perguntar e eu respondo, não vai ser difícil.
EU: Esse não é o tipo de coisa que se descobre sentando num barzinho, entre uma bebida e um cigarro.
ELE: Não é esse o convite que tenho pra você.
EU: Mas você não entende? Tô falando de algo mais... mais... forte, sabe? E isso leva tempo.
ELE: Não precisa passar esse tempo sozinho. Pelo menos não dessa vez.
EU: É que é mais como uma preparação pessoal.
ELE: Não existe isso! Olha pra mim: você sabe o quer e não é tão inocente que não saiba que eu também quero. E não se trata de corpos, porque disso tem muito por aí e, acredite, já experimentei e tive uma quantidade considerável deles. Eu tô falando do intocável, do idealizável, do imutável. É uma troca de vidas, não de fluidos. É deixar eu penetrar essa sua proteção pra que você se desarme pelo menos quando estivermos somente você e eu.
EU: Eu quero muito, mas é essa minha mania de achar que uma coisa boa assim não vai acontecer comigo.
ELE: Deixa que eu aconteça com você. Não fique pensando que não vai dar certo.
EU: É difícil...
ELE: Olhe dessa vez para a parte boa da situação.
EU: Mas até quando vai ser?
ELE: Vai ter a duração que dermos e deixarmos.

(Ele beija Eu)
****************
Prometo que depois vou colocar uma música de fundo. rs...

A Maldição...



Ontem tinha tudo para ser mais um dia de folga normal... exceto pela falta de chuva e frio, mas eu já havia entrado num acordo com o tempo e decidido não me importar mais.
Passei a tarde toda quase que totalmente sem fazer nada... Apesar de ter lavado o banheiro, tirado o lixo - como minha mãe me recomendou diversas vezes, mesmo, antes de sair pra trabalhar.

Aí chegou a hora do ensaiolo. Tudo corria bem... flips pra cá... giros pra lá... pulos... e tal! Até que... paf! PUTA QUE PARIU! Torci o pé esquerdo... benzinho, que dor! Gente! E fiquei lá sentado, feito um condenado nazista esperando passar um pouco a dor. Tá, passou um pouco, mas nada de giros e apoios no pé esquerdo.

O tempo foi passando e o pé inchando, mal conseguia andar. Fomos, Rafa e eu, para a casa da Spinelli buscar minha chave de volta, porque eu tive que mandar até a loja através de um moto-táxi de modo que ela, Spirra, se soltasse da loja - sim, ela se trancou SOZINHA dentro da loja.
Conversamos e rimos e no fim, indo embora, tinha esquecido de pegar a chave...

Pra fechar a noite, paramos no McDonald´s (porque agora o Drive thris* fica aberto até 4am). Estamos lá lindos comendo quando o lugar foi tomado por Mardjoléu, digo, neblina. Mas foi uma coisa de louco, porque ela foi chegando depressa e densa... parecia um ataque alienígena - não que eu já tenha presenciado um!

Na minha casa foi que eu pude perceber toda a gravidade da torção. Inchado, doendo... coisa daquela uma... a M-A-N-C-A! Sim, tenho certeza de que foi ela a autora disso tudo! Ficou toda mordida porque eu faço alusões a ela aqui nesse meu blog e não me dava conta das conseqüencias, portanto quis me punir!

Mas que venha! Não deixarei isso me abater!
Agora vou tentar trabalhar... to com muita fome e aquela tal que se alimenta das rosáceas está escovando os dentes, de maneira que tenho q ficar esperando ela voltar.

Outro...
E não me peçam pra me mexer muito hoje!

trecho


"Mais toi, tu es le dernier !
Mais toi’ tu es le premier !
Avant toi y avait rien
Avec toi je suis bien !

C’est toi que je voulais !
C’est toi qu’il me fallait !
Toi que j’aimerais toujours…
Ça sert à ça l’amour!"


- Edith Piaf -

De folga!


Então... estou de folga hoje e como eu temia NÃO está chovendo! Nem levemente nublado como eu tanto queria e como estava nessa cidade desde semana passada, por todos os dias! Nada, nadinha! Nem uma leve nuvenzinha cinza... af!

Que que é? Não posso também ter um dia chuvoso na minha folga? Pelo amor de deus né! Quer dizer, agora o que se pode fazer... friozinho, sim, mas vou ter que ligar a mangueira, mirar na janela do meu quarto e deixar a água caindo pra eu ter pelo menos a ilusão de uma chuvinha!

Ontem choveu tanto que acabou minando a loja! Pingando na vitrine e até molhou uma bota toda... foi uma coisa de louco! Eu peguei, tirei todas as botas da vitrine, subi com a molhada para o estoque e enfiei um pano pra secar no forro e na lona também. E descobri que o forro estava rasgado! Deixei a bota lá e desci. Como não parava de pingar, já fiquei com medo de que aquilo tudo viesse a desmoronar. Pelo menos não caiu até a hora que saí!

E por falar em sair... saí correndo daquele shopping para ir ao ensaio do Dantrato. Sem guarda-chuva, sem ônibus... cigarro numa mão, celular na outra fazendo a negociação da minha dívida externa com o Santander. Mas nunca vi demorar tanto! 22 minutos de conversa! Meu cérebro já estava quase derretendo e meu ombro dolorido! Isso porque quando cheguei à padaria para comprar alguma coisa pra comer, tive que equilibrar lata de coca cola, sanduíche e o cartão da padaria...

Saio da padaria e a chuva dando sinais de que iria voltar. Andei mais depressa para fechar a tal aula, que nem ontem nem hoje teve de novo... Tô começando a ficar MUITO irritado mesmo!

Enfim... é absolutamente... como eu posso dizer?

Ilustração Musical




Todo Sentimento - Chico Buarque

Preciso não dormir
Até se consumar
O tempo da gente


Preciso conduzir
Um tempo de te amar
Te amando devagar e urgentemente

Pretendo descobrir
No último momento
Um tempo que refaz o que desfez

Que recolhe todo sentimento
E bota no corpo uma outra vez

Prometo te querer
Até o amor cair
Doente, doente

Prefiro então partir
A tempo de poder
A gente se desvencilhar da gente

Depois de te perder
Te encontro com certeza
Talvez num tempo da delicadeza

Onde não diremos nada
Nada aconteceu

Apenas seguirei
Como encantado ao lado teu.


(Ouça a música:aqui)

Obs: melhor escolher para abrir o link numa nova janela, com o botão direto

Orientando no sentido de...


Bom meus queridos leitores, as Breviações estão a todo vapor e vejo que muitos têm gostado e demonstrado certo interesse. Por isso, quero agora contar um pouco delas. Em especial, sobre as breviações de "EU e ELE".

É notável, pelo menos para aqueles que me conhecem ou para quem já tenha falado um pouco comigo, que muita coisa que está lá tem uma alta carga autobiográfica, mas as situações são fictícias. Na verdade, são as situações que eu fico idealizando para mim com uma pessoa idealizada para mim. Não que o personagem EU seja realmente eu, pois estou presente tanto no EU como no ELE. Os dois possuem uma personalidade já estabelecida, que a cada "capítulo" desse folhetim vai sendo evidenciada.

Não possuem nomes estabelecidos porque são personagens gerais, representam um pouco de todo mundo.
Acredito que muitos também já fizeram isso. Encontrar por acaso, num lugar improvável, aquela pessoa que muda tudo, aquela tão esperada. Por quem queremos nos abrir por completo, mas ao mesmo tempo não queremos falar nada e esperar que descubram como somos, o que queremos ouvir. E então o diálogo segue exatamente como o pensado: Eu vou falar assim e ele vai responder desse jeito. Depois ele vai dizer isso e eu faço um comentário engraçado e ele fica me olhando de um jeito...

E é partir dessas minhas vontades e viagens, algumas coisas confesso já aconteceram - pelo menos de forma parecida, que uma nova Breviação surge.
Espero que continuem acompanhando. Logo colocarei aqui a Breviação mais significativa e, espero, real.

Outro!

Eu gosto é assim!


Ok... fui dormir ontem depois do teatro (contarei sobre isso num post futuro) já eram 2am, mais ou menos... levemente contrariado porque teria que acordar hoje cedo para minha aula prática da CNH.

Certo. 7:40am e eu já estava de pé. A aula começaria 8am. O tempo perfeito - pra ficar dormindo! Chuvinha e friozinho. Comi um briochinho com manteiga e tô esperando o instrutor (que descobri ontem por acaso ter mudado sem ninguém ter se dado ao trabalho de me avisar! Não, não gostei! Poxa... nem sei como ele é! E se for chato? vai saber... eu não me dou bem com qualquer pessoa assim tão facilmente. Tem todo um processo interno primeiro. Mas enfim...). 8:10am e nada, 8:15am e nada. Eu fui começando a ficar bastante irritado! Mal dormido e ainda tendo que esperar. Fui orientado pela minha mãe no sentido de ligar na Auto escola e pedir esclarecimentos. Telefone ocupado.

8:30am e a gota d´água! Botei minha roupa de dormir e voltei lindo pra minha cama. Alguns minutos depois meu celular tocando - número da Auto escola.
(voz de sono): Alô?
(voz): Gabriel?
(eu): Ele mesmo...
(instrutor): Aqui é Fulano* da Auto escola.
(eu): An?
(instrutor): Então, não passei aí pra te pegar porque na sua ficha tava escrito que era pra moto. E por causa da chuva não deu.
(eu, controlando a raiva): Sei...

Assim... só isso. Todo o contratempo foi justificado assim!
Porque é que ninguém se preocupa em avisar as coisas antes? A esclarecê-las? A atender telefone? Francamente, poxa!
Por fim ficou decidido que a próxima aula seria segunda, 8am. Quero só ver.

Então voltei a dormir e levantei 11:30, já com pressa pra almoçar e fui pra mais um dia de trabalho no ClaustroShopping! Hoje com direito a muitas crianças irritantes. (Meu incômodo com crianças voltou... tinha diminuído consideravelmente. Não sei o que aconteceu. Hoje eu juro que senti uma vontade grande de jogar uma ou outra na fonte dos desejos que tem na loja).
Além das crianças, um casal pé-no-saco que entrou 20:10 na loja, com as portas já fechadas, perguntando depois, que hora as lojas fechavam no shopping!
Ah!!!! Pelo amor de deus né! É pra acabar com a minha vida!

Só me restou vir pra casa, ficar aqui sozinho porque não tinha dinheiro nem estímulo pra sair e agora ir dormir porque tá na hora né!

Obrigado por perguntar...
Outro.

*Fulano porque não sei direito ainda o nome do meu novo instrutor. Eu ouvi alguma coisa com Adib... Habib´s? Enfim. Quando souber, coloco aqui!

Breviações...


(Imaginem-se numa loja dessas que vocês normalmente compram suas roupas. Pensem em uma que fique preferencialmente no shopping. EU está de costas, arrumando algumas peças.)

ELE: Tive uma ótima recomendação sobre um vendedor daqui.
EU (virando-se): Mesmo? Bom, e você já conferiu a autenticidade dessa afirmação?
ELE: Ainda estou avaliando.
EU: E faz muito bem, afinal, primeiras impressões nem sempre prevalecem.
ELE: Mas posso dizer que ele é um tanto quanto... misterioso.
EU: Hum... Talvez porque ele goste de se revelar aos poucos. E a poucos.
ELE: Ou goste de testar a resistência dos outros que se interessam em conhecê-lo.
EU: Também pode ser uma forma de atração.
ELE: E como?
EU: Faz com que queiram entendê-lo, insistir até mostrar pra ele que já sabem seus movimentos.
ELE: Ah... mas ele conhece esses truques.
EU: Os comuns e previsíveis, com certeza. No entanto, às vezes ele encontra alguém por quem se deixa descobrir.
ELE: Ele usa frases efusivas demais.
EU: Ele só tem o espírito poeticamente prolixo.
ELE: Por isso prefiro as trovas. São mais objetivas.
EU: Elas falam de um amor impossível...
ELE: Impossível para quem escreveu. Quem sente ignora certas barreiras.
EU: Certas barreiras podem ser mais complicadas. A distância, por exemplo.
ELE: Já somos privilegiados em não morarmos mais em feudos. Atravesso duas quadras, ando alguns passos e posso te encontrar aqui.
EU: Realmente um trovador. Mas trovadores idealizavam uma figura só real pra eles.
ELE: Muito mais vantajoso - nada de concorrência!
(EU sorri)
ELE: Você não pode sair daqui?
EU: Então...
ELE: Não tem hotário de lanche? Vamos comer alguma coisa.
EU: Tá... mas não posso demorar.
ELE: O suficiente pra querer continuar comigo.
EU: Você aposta muito alto.
ELE: Só acho que se é pra arriscar, que seja por algo que acrescente alguma coisa nova pra mim.
EU: Apostas nunca foram meu forte. Perdi a maioria.
ELE: Chega um momento que a sorte muda.
EU: Nem sei se ainda posso jogar.
ELE: Tem que dar oportunidade pra sorte.
EU: Ela costuma ser traiçoeira.
ELE: Ou prazerosa.
EU: Tenho um pouco de medo de ser a cartada final.
ELE: Deixe que eu dê, então. E aí mudamos as regras.
EU: E as conseqüencias?
ELE: Não gosto de pensar nelas de barriga vazia.
EU: Tudo bem, já entendi!
ELE: Da próxima vez trate de aceitar um convite meu mais depressa porque não é sempre que tenho metáforas suficientes para argumentar e contra-razoar.
EU: Ok, trovador!
ELE: Você escolhe.
EU: Capuccino e cigarros!


Breviações...


OUTRO (pelo telefone): Oi, tudo bem?
EU: Tudo e você?
OUTRO: Também. Você tá onde?
EU:
Em casa... É... quem tá falando comigo?
OUTRO: Nossa, é difícil ser famoso hein!
EU:
Difícil lembrar de todo mundo que eu conheço.
OUTRO:
Achei que de mim se lembraria. Sou eu.
EU:
Ah... oi. Como você está?
OUTRO:
Bem. Vai fazer o que hoje?
EU: Não sei. Acho que vou sair pra dançar com meus amigos.
OUTRO:
Hum... nem me convidou.
EU:
Eu disse que vou com meus amigos.
OUTRO: Poxa... Bom, daqui meia hora eu passo aí pra te pegar.
EU:
Como é que é?!
OUTRO:
Passo pra te pegar daqui meia hora. Tchau.
EU:
Peraí! Você tá doido? Em meia hora eu não fico pronto de jeito nenhum! Eu ainda tenho que descansar, tomar banho e comer alguma coisa. Vou sair só mais tarde.
OUTRO:
Tá vendo como você é? Eu todo disposto a te ver, dar uma volta...
EU:
Como eu sou o quê? Eu trabalhei em pé dez horas direto! Eu preciso descansar e comer alguma coisa.
OUTRO:
Fica pronto então porque daqui a pouco eu chego aí.
EU:
Você tá fazendo isso de propósito né? Eu acabei de falar que to cansado e preciso comer!
OUTRO:
Eu passo aí, a gente dá uma volta e você descansa no carro.
EU: Meu deus, como você é insistente!
OUTRO: Meia hora hein!
EU:
Pode parar de graça! Nem precisa porque vai perder seu tempo.
OUTRO:
Eu chego e fico na rua te esperando, buzinando.
EU:
Se fizer isso eu chamo a polícia.
OUTRO:
Nossa! Faria isso mesmo?
EU:
Se ficasse me importunando... Agora tchau.
OUTRO:
Meia hora tá?
EU:
Olha só, de verdade, eu tô falando sério. Não precisa mesmo vir, vai perder seu tempo à toa porque eu não vou sair.
OUTRO:
Tá falando isso só porque é comigo né?
EU:
Não faz drama! Tô falando porque eu vou descansar e comer e só depois, de repente, eu vou sair com meus amigos.
OUTRO:
Quarenta minutos então. Pronto! Tô indo tomar banho.
EU:
O quê?!
OUTRO:
Tchau!
EU:
Que tchau o que! Tá maluco? Nem trinta nem quarenta. Eu falei que não é pra vir aqui. Se continuar eu vou ter que ser grosso com você.
OUTRO:
Tá vendo como você é?
EU: Tchau! (desliga)
(telefone toca)
OUTRO: Já descansou?
EU: Você não vai parar não? Que coisa chata!
OUTRO:
É melhor ficar pronto porque eu vou passar aí.
EU:
Não vai passar nada. E já deu também. Vou desligar e nada de vir aqui.
OUTRO: Fica pronto.
EU:
Pára! E tchau!
(desliga de novo)

Baú


Baú de Pequenas Felicidades...

Felicidade #35 -

Chegar em casa à noite e depois de algum tempo no computador, lembrar que tem um pão de mel com recheio de chocolate trufado inteirinho, só pra você!

DELÍCIA!!

TELE SUSTO



Todo dia a gente ouve histórias por aí de pessoas que caíram em algum tipo de golpe e trote por telefone, normalmente feito por presidiários. Pois bem, hoje estou lindo aqui na loja trabalhando quando de repente minha mãe ligou falando comigo numa voz estranhissima. Perguntando se o meu padrasto tinha falado comigo e eu disse que não e já fiquei preocupado, porque minha mãe fica fazendo suspense demais e não fala logo o que acontece e eu já fico louco!


Acontece que mais cedo tinham ligado na casa da senhora que a minha avó faz companhia e falado diretamente com a minha avó que a minha mãe havia sido seqüestrada - a melhor parte - por engano! Supostamente a tinham confundido com a filha de um certo empresário. Minha avó ficou desesperada e saiu da casa da senhora gritando e chamando meu tio, que foi lá negociar! O tal seqüestrador pediu 10 mil dinheiros pelo resgate e devolução. E meu tio falando que não tinha esse valor e nisso os vizinhos todos mobilizados para tentar encontrar minha mãe na escola onde ela dá aula. Até confirmarem que não era da minha mãe que estavam falando, o articulador falou que poderia aceitar o pagamento com cartões de telefone celular... Bem a cara desse pessoalzinho mesmo fazer esse tipo de coisa!

Passado o susto, todos se recompuseram... mas ainda não sei bem como estão porque ainda estou na loja.

Eu até vejo isso como uma coisa bem pretensiosa, agora que já passou. Mas deve ter sido bastante diferente para minha avó e meu tio que falaram com os tais... Sei lá como eu ficaria.

Des(aniversário)



E hoje faz um mês desde que fiz 22 anos! O tempo passando assim sem eu nem me dar conta. Talvez por dedicar minha atenção à rotina viciosa de acordar-levantar-tomar banho-quase comer-sair-esperar o ônibus-entrar no ônibus-vir pra loja-dobrar na loja-ir embora-andar... andar... andar... (às vezes acompanhado, muitas vezes sozinho, mas sempre fumando e ouvindo música - mesmo que só eu possa ouvir)-chegar em casa-ouvir a mãe, ouvir a irmã-comer qualquer coisa-ler o jornal-ver tv-tomar banho-ir pro computador-ficar muito tempo no computador-escrever-pensar-sentir-dormir.
Hoje também faz 2 meses do encontro em São Paulo.
A troca, o toque, a boca, o corpo, o som, o beijo, o calor, lençóis, cigarros, corpos nus, banhos, os olhos, a busca, a calma, você eu, o amor... (?)
.
.
.
.
.
hiato...

É Coisa daquela uma!


Meu deus! Hoje naquela loja foi uma loucura!

Spinelli e eu passando o texto que vamos apresentar amanhã nas cenas curtas. Mas acontece que a gente empolgou e fizemos várias versões divertidíssimas!! Nossa... se tivéssemos tempo nessas Águas, com certeza faríamos! Variações e tudo mais... fora as outras histórias que criamos! Se alguém entrasse naquele lugar ia ficar perdido! hehehe...
Enfim... foi absolutamente difícil ficar sem os personagens no corpo.... só depois que ela foi embora e eu fiquei duas horas sozinho naquele lugar!

Depois que saí tive que ir correndo até o CFC para fechar a tal aula, de maneira que eu consiga meu certificado e possa fazer a prova prática no final das aulas... E nisso ligando para a Comedora de rosas para marcarmos o ensaio, mas quem disse que ela me atendia! Uma... duas... tres... quatro vezes e nadinhola! Fui e voltei do lugar e nada...
Aí pra completar a bateria do meu celular acabou e onde é que está meu carregador? ADORO!

Vim pra casa... passando o texto e as marcações sozinho na minha cabeça. Chego aqui e depois recebo da minha mãe um brigadeiro! Delicinha!! - e sim, já comi tudo, obrigado por perguntar!

Agora vou ver se sossego o facho porque preciso estar bonzinholo pra amanhã! Só falta acordar com gastrite nervosa... tsc tsc tsc!

"Merd!"


( - ps: aproximadamente faltando 15 dias!)

Relembrando...


Um texto meu, que por sorte estava no banco de dados do outro blog... que pra mim é atemporal. Acho que estou quase conseguindo ouvir, mesmo que um sussurro...

COMO OUVIR ESTRELAS?

Estou cansado de fatos e histórias aliados a um processo cultural retrógrado cuja única regra cultivada até hoje é: você só será feliz quando estiver com alguém.
Mas o que isso quer dizer? Que para eu alcançar a felicidade e me sentir satisfeito, tenho que, involuntariamente, sujeitar-me a aceitar algo que não é o que planejei pra mim?

Nos meus planos primitivos, baseados em sonhos e possibilidades remotas, eu nunca cedi espaço para um relacionamento que ultrapassasse a amizade íntima. Quer dizer, o que eu poderia aceitar seria algo que lembrasse o namoro, mas sem necessariamente ser um namoro; com uma mistura de amizade sincera. Resumindo: gostaria de um amigo para poder ser meu companheiro.
Devido a todas as experiências que tive, sentimentos resguardados, personalidade intransigível
e a falsa afirmação de que apenas eu seria capaz de me satisfazer, preferi deixar de lado qualquer coisa que se referisse ao amor.
No entanto, essa minha decisão me transformou numa pessoa carente e ao mesmo tempo
assustada, e passei a criar máscaras e personagens para enfrentar as circunstâncias.

Mas ultimamente tenho visto que já não tenho mais fibras para segurar tantos fios no intuito
de me fazer feliz. Descobri que, assim como todas as outras pessoas, eu também preciso
experimentar o amor romântico.
Essa tarefa não é fácil. Afinal, sou completamente inexperiente nesse assunto.
Posso falar sobre amigos, poesias, músicas, filmes, sexo; mas não tenho argumentos para discutir sobre o amor. Até hoje o amor é algo inexistente para mim. Uma utopia. Um sonho que como os outros que tenho, lentamente dilui-se no meu peito intumescido de inúmeros sentimentos com os quais não sei lidar.
O que eu preciso é de alguém para me ensinar e mostrar o amor.

Quero alguém que olhe em meus olhos e consiga entender minhas necessidades, alguém que esteja disposto a segurar minha mão e me levar a lugares desconhecidos, alguém que fale como lhe faço bem, alguém que me mostre o valor de um abraço, alguém para secar minhas lágrimas e não me deixar sentir culpado por isso, alguém que esteja comigo para caminhar durante um dia inteiro, alguém que monopolize meus pensamentos, alguém simples mas que me surpreenda a cada dia com seu jeito, alguém para sair na chuva e não me culpar pela falta de abrigo, alguém para compartilhar suspiros e angústias mesmo quando está tudo bem, alguém que ao sentir o perfume natural faça meu coração disparar.
Quero alguém com quem ouvir estrelas...

Parece que agora a possibilidade de mudança é favorável. E toda essa mudança virá
por causa de uma escolha feita sem expectativas. O inesperado, dessa vez, trouxe alguém
com quem recuperar uma parte de mim que eu julgava ser inútil: poder ouvir estrelas!

(* com adaptações)

Update!


Então... mudei a fotinhola do meu blog... ta certo que ficou enorme de grande, mas eu não consegui fazer ficar menor, então vai ficar assim mesmo, pelo menos por enquanto!

A gripe tá até que controlada... só essa dor de cabeça terrível!

( - já postada!)

Pardon


Queria mesmo escrever alguma coisa aqui, juro!
Mas é essa maldita gripe, com direito a coriza constante, que não me deixam!
Eu fico sensível sim, mas também quero carinhosinho... hehehehe....

Semana bastante corrida e com várias expectativas! Cenas curtas... carta... muita coisa
para um enfermo como eu aguentar! rs
E pra piorar, com fome mal curada! Levantei e não quis pensar em nada para o almoço. À tarde, depois que o Rafa veio aqui para me deixar umas coisas, fui à padaria e comprei 2 pães, mussarela e uma fatia de uma torta recehada com pedaços de chocolate, mas que não estava tão boa assim.

Antes de ir ensaiar, tomei uns copos de leite batido com goiabada. Estava planejando comer alguma coisa na rua, ou depois que saísse da Spirra, mas quem disse?! Chego em casa e nadinhola pra comer! Tive que apelar para alguns cookies integrais e pedaços crus de couve-flor (sim, eu gosto de comer couve-flor cru. Assim como gosto de cenoura, repolho, vagem também crus.)

Agora tô aqui... com o nariz pingando feito uma fonte, o corpo dolorido, já pensando que terei que dobrar amanhã... linda minha vida! hehehe

E já tá bom!
Vou deitar-me...

Engripado...


Não adianta... ficar gripado é como ligar o botãozinho que me deixa mais sensível também, pra tudo! Fico falando mole... corpo mole... carente... melancólico... preguiçoso... dengoso!
Parece até lua cheia...

Essa noite foi terrível! Virando na cama várias vezes, tendo que acordar porque não conseguia respirar, ou então porque táva respirando pela boca... depois tentar dormir e acordar com a cabeça doendo... levantar da cama pra pegar o remédio de nariz no quarto da minha irmã... Enfim, uma tristeza!

E ainda sonhei com minha amiga Rererê, mostrando pra ela que eu tinha achado um bloco de folhas enquanto eu mexia nas minhas coisas ontem. E eu realmente achei um bloco de folhas enquanto mexia nas minhas coisas ontem! Procurando os livros de teatro que pretendo mostrar / emprestar para a Srta Spinelli. Além disso, encontrei também meu hitórico escolar original, meu certificado do Cambridge e minha Certidão de Nascimento! E eu que já dava por perdido esse documento.

Imaginem! Se perdesse, seria como se meu nascimento tivesse sido uma farsa! Uma invenção criada por espiões pagos, e muito bem pagos, pelo Vaticano! Tudo que diz respeito a mim iria desaparecer... ou não? é tudo maluquice isso? reflexo da minha gripe? rs

Então tá bom!

Atchim!


A semana começa e com ela o que eu ganho??
Uma bela gripe!

Pois é... Tudo começou porque eu quis dar uma de esperto e economizar e poupar de levar volume quando saí no sábado de mota com meu amigo e não fui com blusa de frio, mesmo porque o tempo táva até que agradável e fresco. Até aí tudo bem!

Chegamos à boate e o tempo um pouco mudado, ventando de leve... aí dança, dança, dança... e fica suado... e tira a camiseta e dança mais... e toma gelado... e dança! Aí chega a hora de ir embora e sai na madrugada com sereno e meio fria... e anda na mota!

Ontem acordei com minha garganta arranhando, como cantou Ana Carolina. Mas preferi pensar que era coisa da balada: ter gritado, fumando, falado, enfim... coisas do lugar seco.

Aí hoje já levantei com a sensação de que iria me gripar gradativamente durante o dia... e não deu outra! Foi só agravando... nariz escorrendo mais que uma fonte romana, minha cabeça latejando e o corpo dando sinais de moleza...

Agora estou aqui, fungando e esperando alguma melhora.
Ainda bem que estarei de folga amanhã!!

(ps: SECRETÁRIA CLARO - Sua chamada está sendo encaminhada para a caixa postal e estará sujeita a cobrança após o sinal. - sinal - Deixe sua mensagem após o sinal.
E eu deixei!)

Fossa


Esses dias atrás, numa tarde enquanto fazia qualquer coisa na loja, conversando com a Spirra, viro pra ela e pergunto:
- Por que será que as músicas tristes sempre são mais bonitas? Em se tratando de letra, melodia, sentimentos...
- Porque a gente fica mais criativo quando tá sofrendo, triste, com saudade...
Ao fundo tocava uma música da Ana Carolina. E eu emendei:
- A Ana Carolina deve ter sofrido muito então! - e rimos muito!!

Eu também tenho o hábito de escrever coisas muito boas quando estou melancólico, triste e saudosista... E a Amy Winehouse ganhou 5 Grammys por conta do seu cd feito por causa de uma fosa...

Mas por que essa facilidade com que a escrita flui quando estamos tomados de um sentimento que deveria nos deixar

Contando


E ontem a baladinha até que foi divertida!

Meu amigo Rafa, sem os sisos e ainda meio gripado; meu amigo Diego, vindo de um espetinho onde foi encontrar com um rapaz indicado pelo seu patrão e minha amiga Giz, vinda da festa de noivado da prima, com o namorildo e as amigas.

Entramos, dançamos, rimos, dançamos até a derradeira hora da entrega dos prêmios! Sim, porque ontem, descobri lá, foi o OSCAR GAY 2008! Olha como nossa cidade é! hehehe... Até que foi interessante... e o melhor, claro, eram os discursos de agradecimento dos/das vencedores/as e também as explicações do organizador em sempre falar que não havia máfia para a escolha!

Terminada a cerimônia, continuamos mais um pouco a dançar e depois fomos embora.

Eu, morrendo de fome pra variar porque não tinha jantado em casa antes de sair. Passamos no City Posto e eu pedi um beirute e o Rafa um bauru, porque tinha que comer coisas molinhas! rs E tudo muito jóia, tudo muito bem, então tá jóia! E descobri que pedindo um beirute no City, você ganha um copo de refrigerante de 300ml! Olha que coisa boa!
Fomos embora. Não fumamos porque o Rafa não pode por enquanto e eu não tinha levado cigarro. Melhor assim...

Aqui em casa cheguei e desmontei na cama.. Liguei o MP3 Player e adormeci ouvindo Amélie de Polainas, Miranda, Vanessinha e Amy... Muito tranqüilo e sem culpa nenhuma por ter chegado nesse horário, já quase amanhecendo, pois hoje foi minha folga!

Obrigado pelas visitas e comentários recentes...

(ps - Ontem a noite a mensagem não apareceu... e sim o insistente e angustiante sinal de toque... chamando... querendo vir, querendo não vir... aguardando... desliguei.)

Baú


Baú de pequenas felicidades

Felicidade #34 -

GI: "O olhinho dele até brilha!"
(eu, ficando envergonhado)
EU: "É... eu gosto daquele menino!"





Desatando


Depois de um turno bastante cansativo de 10 horas de trabalho aqui no ClaustroShopping, pouco falta para irmos embora. E hoje, como combinamos, vamos sim sair para dançar!
Oba! Porque eu adoro dançar e melhor ainda porque amanhã estarei de folga! Porém tenho que lavar o banheiro de casa... Enfim. Prefiro lavar banheiro a lavar louça...
Aé logo mais!
Quero só ver o que essa noite está preparando!

Summer Sunshine!


Ao ritmo de The Corrs, que há muito não ouvia, mas que eu adoro, vou terminando meu dia e minha noite.

Dia bastante cansativo no ClaustroShopping do Calçado: conferência de estoque ("A gente fazia inventário" - aí explica o que era inventário. Minha patroa: "Ah! Mas é a mesma coisa, só que com esse nome!).

Depois ensaio para o Águas de Março. Performance dos meninos ("Benflogin, benflogin, pra mim, pra mim...") e depois ensaio da nossa Cenícula ("Eu vou te bater mesmo? - carinha de MSN).
Então fomos Eddie, eu, Spinelli e Gia para o Fish. Ficamos pouco. O suficiente para algumas risadas, uma coca cola média e um quase acidente... Eu, em toda minha expansividade ao falar, quase enfio o canudo no olho do Eddie!

Antes de ir embora, fomos ao Aragão comer um lanche e no caminho encontramos com um ex integrante do Dantrato e um amigo dele. No meio da nossa conversa um bêbado chegou, se intrometeu e veio contando a história de como ele tinha pegado um isqueiro novo num bar aí por causa da mão leve, mas que estava sendo sincero e queria vender aquele isqueiro novo por R$1,00 pra poder comprar pinga. E no final elogiou o ex Dantrato e falou que até comeria... Rimos e ele foi embora.

Antes de chegar ao Aragão, passamos pela Monstrana... que passou a ser freqüentada pelos adeptos do homossexualismo! Enfim...
Pedimos os lanches, Eddie e eu. Quando estávamos no fim, um cara se aproxima pedindo nossa opinião sobre sua dúvida: valeria ou não a pena ele entrar na boate... Falamos um pouco, mas no fim o incentivamos a se divertir! Aí ele fala: "Quero comer uma buceta hoje porque faz tempo que eu não como!", aí eu: "Pooo! Eu também!" E o Eddie quase tendo uma ataque pra segurar o riso! E eu de novo: "Aproveita e já pega logo duas que é pra compensar!" hauahauhuhau

Aí ele saiu... pegamos nossas coisas e ligamos para um moto-táxi e pronto! 5 minutos depois já estava aqui postando e me preparando pra dormir, porque minha querida patroa quer que estejam os três na loja por conta da liquidação.... af... como se tivesse um movimento absurdo! Paciência... pelo menos pego $6,00 para alimentação!

(pensamento - ao mesmo tempo parece que dia 30 está logo ali.... e logo depois, tão longe...)

Obrigado por perguntar!
Vamos dormir!

Antes de dormir, deixo aqui...


...ainda estou procurando o lugar onde a chuva é colorida, onde os provérbios e expressões se personificam na minha frente para poderem se explicar, onde minhas palavras tomam forma e eu posso criar a história que eu quiser! Aí então, quando chegasse a hora de chorar e despedir, eu simplesmente mudaria a fala: Eu fico! - ele diria.

*********************************************

(PS - No telefone, a mesma mensagem gravada: "Não foi possível completar sua ligação. Por favor, verifique o número...")

Comprei


Achei numa padaria que eu praticamente não entro, mas por onde sempre passo na volta para casa do trabalho... Marlboro com a embalagem metalizada - Marlboro Summer Edition
Isso mesmo! hehehehe

Não aguento!


Eu nem ia escrever mais nada aqui hoje, mas enfim... gosto de deixar umas palavrinhas. Mas agora nada de muito engajado.

Ouvindo Maria Rita, o primeiro cd - Veja Bem Meu Bem. Adoro essa música. Pela batida e principalmente pela letra... que durante toda a música dá a impressão de uma traição, mas no entanto é apenas a saudade que acaba sempre fazendo companhia a aqueles que estão privados de quem ama, de um lugar, uma vontade...
Mas também é a oportunidade de quem está do outro lado ver de um jeito diferente... ver o lado bom da situação, coisa que eu faço com uma certa freqüencia...
Mas chega de divagações para o sono chegar.

Boa noite!

Season´s End




Hoje foi o último episódio da temporada.
Muito bom!
Aliás, toda a série muito boa: diálogos, personagens, atores, músicas, enredo...
Comecei a assistir por acaso e desde então acompanho toda semana... sempre bom pra aliviar meu choro preso, aliás, não está assim tão preso há um tempo. Mas enfim...
Nesse final de semana terá maratona no Universal Channel... quem puder, veja.

Baú


BAÚ DE PEQUENAS FELICIDADES...

- Felicidade #33


Ser aprovado no exame teórico para a Primeira Habilitação!!


Agora é começar as aulas práticas. Estou a praticamente uma marcha da minha CNH!

De novo...



"...vou te envolver nos cabelos,
Vem perde-te em meus braços pelo amor de Deus
Vem que eu te quero fraco, vem que eu te quero tolo
Vem que eu te quero todo meu..."

Porque sim, é forte esse gostar, que ao mesmo tempo que me preenche,
me assusta e se afasta de mim.
Que me surpreende e me faz pensar... pensar em mim, pensar em ser melhor comigo,
pra mim e melhor com você, em você.
É descoberta a cada dia, em cada conversa, que sim, não são as mesmas, mas nós também não somos desde quando decidimos nos deixar fazer parte de nossas vidas.
É sonho enquanto trabalho, quando me viro pro lado pensando ter visto você...
Quando mexo na minha cama inúmeras vezes tentando achar seu toque pra me segurar...
Também é lágrima que escorre e esquenta meu rosto que sente falta dos seus beijos...
Que não consegue calar meu peito, ou conter minhas palavras ou minhas vontades, quando digo que estou indo pra são paulo!
E me animo, mesmo que por um breve instante, quando vislumbro você lá, apoiado no pilar da estação como aquele dia no metrô... e os braços se abrem e o abraço me prende e eu digo: obrigado.
Esse é meu gostar...


Recomendação




CDTECA Gabriel Chacon apresenta - Fabuloso Destino de Amélie Poulin


O filme é belíssimo. Mas não sei dizer se a trilha é que o acompanha, ou se a história vai se desenvolvendo de acodo com as músicas.


Não sei se pela musicalidade, pelos instrumentos escolhidos ou pela poesia melódica que vai nos envolvendo.


É possível até fazer uma viagem particular, desvendando vários significados para cada tom nas músicas que compõem essa trilha.


Eu adoro quando estou querendo criar alguma coisa. Como agora. Ouço repetidamente! E a cada vez, as mesmas músicas conseguem me tocar de um jeito diferente. Seja quando estou melancólico, seja quando estou feliz, mas em todas as vezes, instrospectivo.


Destaque para as faixas que ouço mais -
Le Moulin e La Dispute.

Boa Noite...

Breviações (continuando aquele encontro)


ELE (sentado na poltrona do quarto, fumando): Você fica bonito sorrindo enquanto dorme.
EU (deitado): Dormindo... o quê?! (se dá conta) Meu deus! Que horas são?? (levanta e se vestindo) Eu sabia, sabia que não devia ter subido! Tô atrasado! Pronto, vou chegar lá pra assinar minha carta de demissão! No mínimo já deve ser meio dia! Tô ferrado!, pra nao falar outra coisa.
ELE: Calma. Ei! Calma! Ainda é ontem, você dormiu pouco mais de uma hora. E outra coisa, eu não posso ficar até meio dia na cama.
EU: Nossa, que vergonha. Bom, mas de qualquer jeito eu preciso ir embora, antes que eu comece a achar que isso já é parte da minha realidade. (pega as coisas)
ELE: Você podia mudar esse seu jeito de pensar, acho que já comentei.
EU: Que jeito? Prático e realista?
ELE: Neurótico e pessimista. Tem mesmo que ir agora? Bem agora?
EU: Eu só não quero correr o risco de perder outras horas de sono.
ELE: Quer dizer, já é quase de manhã, você termina a noite dormindo aqui, amanhã toma um banho e eu te levo pro shopping.
EU: Eu não posso simplesmente esquecer que eu tenho uma casa e minhas coisas lá...
ELE: Então é isso?
EU: Como assim...?
ELE: Assim... você saindo assim, mecanicamente.
EU: Você não entende? Faz parte do processo pelo qual eu passo a fim de não me sentir mal.
ELE: Por acaso o que aconteceu foi tão ruim que precisa sair correndo?
EU: É justamente o contrário. Eu preciso ir embora agora antes que meu coração inconseqüente resolva agir por vontade própria.
ELE: Eu te levo.
EU: Não. Por favor. Vai ser mais fácil se você ficasse aqui.

(ELE fica. Eu sai.)

Vindo a público


Gostaria de agradecer às novas visitas e aos lindos comentários!

Ele fica feliz!!

Vamos dormir!



Tercetos

Noite ainda, quando ela me pedia
Entre dois beijos que me fosse embora,
Eu, com os olhos em lágrimas, dizia:

"Espera ao menos que desponte a aurora!
Tua alcova é cheirosa como um ninho...
E olha que escuridão há lá fora!

Como queres que eu vá, triste e sozinho,
Casando a treva e o frio de meu peito!
Ao frio e à treva que há pelo caminho?!

Ouves? é o vento! é um temporal desfeito!
Não me arrojes à chuva e à tempestade!
Não me exiles do vale do teu leito!

Morrerei de aflição e de saudade...
Espera! até que o dia resplandeça,
Aquece-me com a tua mocidade!

Sobre o teu colo deixa-me a cabeça
Repousar, como há pouco repousava...
Espera um pouco! deixa que amanheça!

— E ela abria-me os braços. E eu ficava."

(Olavo Bilac)