Divã


Obrigado por poder me ver a essa hora num domingo, doutor. Era para eu ter ligado mais cedo, mas hoje foram mil coisas acontecendo, meu irmão tomando tempo no computador, enfim. Mas vamos ao que interessa afinal é bem capaz de o senhor estar cobrando bandeira 2 por minuto dessa consulta!
...
Não é que eu seja uma pessoa difícil de ser agradada, exigente demais, perfeccionista e toda sorte desse tipo de adjetivo. Nada disso! Eu simplesmente sou alguém criterioso! Poxa, o que há de mal em ter certos critérios na vida, meu deus? É uma questão de selecionar... tudo nesse mundo se seleciona - café de grãos selecionados, vestibular, seleção natural... coisas bastante comuns. Bom, o fato é: será que esses critérios estão me prejudicando? Vou dizer alguns para você, doutor, e espero uma análise sincera ao final.
Claro que a pessoa pode ser bonita, oras! Não tenho nada contra pessoas bonitas, de verdade! Não quero essa beleza plástica e facilmente comercializável (isso não quer dizer "pessoa feia") que se encontra por aí... mas também não é para ficar se expondo por aí para todo mundo ver que se é bonito, não é mesmo?
Sim, aceito uma pessoa comunicativa, dinâmica, extrovertida... mas isso de ficar se socializando demais não dá! É tão ruim assim ser discreto, contido na medida certa? Eu acho que não!
Prezo pela estabilidade laborial e financeira... Pode até ser divertido sair por aí com uma mochila nas costas, conhecendo lugares diferentes e tudo, mas com a segurança de saber que bem guardadinho está o cartão com crédito considerável!
Sem esquecer de um gosto musical distindo. O que não quer dizer ter de ouvir apenas Bach ou Mozart ou Chico ou Bethânia ou Vanessa... Só que batidão, pancadão, modão, pagodão... sinto muito né... não!
Ah, e a questão geográfica da história. Eu não descarto pessoas de outras cidades e/ou estados do território nacional, pelo contrário, adoro conhecer pessoas de outras localidades. Mas se for pra ser de longe, que tenha uma certa mobilidade, por favor! Venha ao meu encontro ao invés de ficar nessa de culpar a distância.
Sabe doutor, eu acho que se a pessoa puder, como eu posso dizer... perceber essas particularidades, tudo vai ficar muito mais fácil no sentido de travarmos qualquer tipo ou tentativa de relacionamento, não é mesmo?
...
Oi? já acabou meu tempo e o senhor estava quase dormindo aí na cadeira? Como estamos hein...

outro.

1 Response to Divã

  1. Lalinha says:

    Se esse doutor aí arresorvê seu pobrema, cê me indica ele que eu vou lá NAHORA! hahahahah!

    Amigo, super tenho questionamentos similares, mas começo a achar que o problema tá em mim (oh, jura?). Ou eu sou mesmo tão insuportávelmente criteriosa ou me estrepo por conta de idéias-fixas inviáveis, acho que um pouco de cada coisa, um horror!

    Bem, se nada der certo eu viro emo e "sesuicido" no final!

    Outro.