Olha que coisa boa!


Esses dias atrás fui almoçar na minha avó e vi um panfleto da Funerária com que temos contrato. Nesse panfleto mostrava as mudanças da funerária, serviços oferecidos... e fui justamente aí todo o êxtase!! Entre salas elaboradas para velórios custando uns bons mil reais e passeios na limousine - tudo para o morto, claro; a equipe se lembrou também dos que ficam: para a família, uma cesta básica e um botijão de gás!

Isso sim é que é serviço de utilidade pública! Dá gosto ser sócio dessa funerária!
Aposto como nenhuma outra no mercado se preocupa com a alimentação da família! Foi uma jogada de mestre, com toda certeza... porque imaginemos que o marido tenha morrido, a mulher vai estar muito desconcertada para pensar em preparar comida e tal... logo, com a cesta básica, ela já terá tudo mais fácil. Do mesmo jeito se a mulher morrer, normalmente nenhum marido se lembra de fazer compras... novamente a cesta ajudando a preparar aquele macarrão instantêneo!

E não nos esqueçamos do botijão, porque ele sempre acaba quando menos precisamos ou quando não temos dinheiro para outro!

outro!

4 Response to Olha que coisa boa!

  1. Lalinha says:

    Amigo, eu me amarro em assuntos fúnebres, super idealizo essas coisas. Ontem li naquela revista que iremos estrelar (cof cof) uma entrevista com um cara que dizia ter feito um jogo de marketing infalível. A funerária dele se chama: "Só falta você". hahahah! É um sucesso!
    Acho engraçado ficar planejando os acontecimentos póstumos. Não pago plano funerário porque eu acho que quando a pessoa morre, o mínimo que os demais devem fazer por ela é providenciar um funeral digno.

    Mas assim, eu, como louca que sou, já planejei tudo, desde a causa do óbito (tuberculose) até o funeral. Deixei avisado com minhas primas... Se eu morrer antes delas, vão me maquiar como de costume, providenciarão um esquema de data-show com slides da minha tragetória pela vida (fotos do nascimento ao momento da morte), quero que toquem bossa-nova (só melodias saudosistas- "sem ela não há paz, não há beleza é só tristeza e a melancolia que não sai de mim, não sai de mim, não sai!) e que sirvam apenas bebidas alcólicas (pra promover a comoção pois quero lágrimas, muitas lágrimas), pra comer NADA, super falta de respeito pensar em comer enquanto alguém está lá, morto, quero que todos percam a fome! hahaha. Ninguém entrará com roupa que não seja preta e ninguém poderá tocar no cadáver. Acho super desagradável aqueles funerais em que debruçam sobre o morto, despenteando, entortando o nariz, amassando as flores e ensopando o falecido com lágrimas. Vai que borram minha sombra preta né? Ah, outra coisa importante: nada de flores coloridas. Quero que sigam um padrão, ou só rosas brancas, ou só rosas vermelhas. Nada de crisântos amarelos, aquilo fede horrores. E se rezarem terço eu juro que me levanto e boto todo mundo pra correr! Ah, seria super interessante se várias pessoas desmaiassem (se de tudo não acontecer espontaneamente, vale simular)!

    Gabriel, tá tudo escrito aqui, se eu morrer, ignorarem meus pedidos e você for omisso no meu funeral a Manca deixará de te perseguir, porque eu tomarei o lugar dela e serei im-pla-cá-vel! muahahahaha...

    Ai, que palhaça!
    .
    .
    .
    Pela oportunidade de postar mais uma vez em seu digníssimo blog, obrigada!



    Outro!

  2. Aí amigo adorei.
    A gente nunca perde por ler até panfletos né?
    Se der amanhã depois do Contralto (se vc for!) passa no bar do seu Zé, vou estar por lá. Quero uma via bohêmia.

    Outro.

  3. Menino G says:

    Uhnn... sua amiga tem problemas. Pra mim basta cremarem essa carcaça e com as cinzas façam o que quiserem, talvez botem numa estante abandonada, ou joguem no lixo. Talvez um dia alguma criança derrube o vazo no chão e eu seja varrido escada abaixo. De quê importa? Não há mais dor mesmo.

    Beijos!

  4. Daniel says:

    Biel,
    Beijos de Londres
    Dan
    www.sembolso.blogspot.com