Folhetim Breviações


ELE: Por que é que você é assim, inacessível?
EU: Eu não sou assim, inacessível.
ELE: Mas prefere mostrar que sim.
EU: Sabe, é que eu já ofereci meus sonhos tantas vezes para quem só queria meu corpo, que aprendi a ter um pouco de resguardo.
ELE: Mas assim você deixa muita coisa passar sem se dar conta.
EU: Desse jeito não tenho que me preocupar com decepções.
ELE: E pode afastar as boas intenções.
EU: Todo mundo está cheio de boas intenções, mas no momento de colocá-las em prática, preferem não usá-las.
ELE: É disso que estou falando.
EU: Do quê?
ELE: Você está ficando igual a um deles. Amargo, fechado.
EU: Não é bem assim. Eu só gosto de ter um pouco de segurança por onde estou pisando.
ELE: Não se pode misturar sentimentos e racionalidade. Não se pode escolher um momento específico em que você vai gostar de alguém e ter certeza de que é a pessoa certa.
EU: É por isso que você prefere trovas e eu...
ELE (interrompe): ...E você prefere colocar-se como rejeitado.
EU: Não. Eu só prefiro a clareza dos contos realistas.
ELE: Não há nada de errado em deixar um pouco da inocência trovadoresca fazer parte da sua vida.
EU: O problema não está nas trovas, está nos trovadores.
ELE: Será que não vê nada diferente neste?
EU: Vejo, e muito. E é por ver tanta coisa diferente que fico assustado. Até que ponto você é mesmo o que vejo e até que ponto você é só o que desejo?
ELE: Por que eu não seria assim, se até agora esse foi meu comportamento?
EU: Eu não sei! Eu ainda não te conheço.
ELE: Porque não deixa! Mas o que falta? É só perguntar e eu respondo, não vai ser difícil.
EU: Esse não é o tipo de coisa que se descobre sentando num barzinho, entre uma bebida e um cigarro.
ELE: Não é esse o convite que tenho pra você.
EU: Mas você não entende? Tô falando de algo mais... mais... forte, sabe? E isso leva tempo.
ELE: Não precisa passar esse tempo sozinho. Pelo menos não dessa vez.
EU: É que é mais como uma preparação pessoal.
ELE: Não existe isso! Olha pra mim: você sabe o quer e não é tão inocente que não saiba que eu também quero. E não se trata de corpos, porque disso tem muito por aí e, acredite, já experimentei e tive uma quantidade considerável deles. Eu tô falando do intocável, do idealizável, do imutável. É uma troca de vidas, não de fluidos. É deixar eu penetrar essa sua proteção pra que você se desarme pelo menos quando estivermos somente você e eu.
EU: Eu quero muito, mas é essa minha mania de achar que uma coisa boa assim não vai acontecer comigo.
ELE: Deixa que eu aconteça com você. Não fique pensando que não vai dar certo.
EU: É difícil...
ELE: Olhe dessa vez para a parte boa da situação.
EU: Mas até quando vai ser?
ELE: Vai ter a duração que dermos e deixarmos.

(Ele beija Eu)
****************
Prometo que depois vou colocar uma música de fundo. rs...

1 Response to Folhetim Breviações

  1. 'ele' e 'eu' são duas facetas de você? tive essa impressão por um momento, parece vc dialogando com vc mesmo...embora numa certa altura 'eu' seja vc, exatamente vc...autopsicanálise faz bem, continue por aí...

    amando.